sábado, 20 de agosto de 2016

Pai


Se não for por amor o que adianta?
Impressa no gene
em sangue e em dor
a vida avança
e já é perene.
E na busca legítima
na hora última
da nossa história
sem crime nem vítima
liberta a culpa
e já é memória.

 




















Já se foram os ninhos
levaram os sonhos
mas não a vontade
de ser pequenino
no amor do que somos.
E já é verdade.